Doenças oculares causadas pelo sol

Previnir é a palavra de ordem para garantir a saúde ocular. Para protegê-lo das doenças oculares a consulta médica deve ocorrer, pelo menos, uma vez por ano para um ‘check up’ da visão. Quem mora em locais com intensa incidência dos raios solares deve estar atento às consequências da exposição ao sol à saúde. E esse assunto vai além da pele: é essencial também para os olhos. A prevenção é o melhor remédio quando o tema é saúde ocular. Assim como a pele, os efeitos dos raios solares nos olhos são acumulativos, ou seja, os danos causados pela exposição ao sol hoje podem aparecer somente anos depois.

Quais são as doenças oculares mais conhecidas por causa do sol?

A principal função dos óculos escuros é proteger mecanicamente os olhos contra os raios ultravioleta (UV) A e B. E os maiores problemas provocados a longo prazo por uma exposição em excesso ocorrem na retina, localizada no fundo do olho. É o caso de uma doença chamada degeneração macular relacionada à idade.

Pterígio

Os raios UV também podem favorecer a formação de pterígio, uma pele sobre a conjuntiva (membrana que reveste a superfície da córnea) que causa ardor na córnea (lente externa do olho), sensação de areia e pode avançar para o centro da visão. É causado em parte pela exposição ao sol e poeira. Pode provocar astigmatismo e distorção da visão, ardência, olho vermelho, lacrimejamento, sensação de corpo estranho. Na maioria dos casos a cirurgia é indicada antes de alcançar a pupila (eixo visual), diminuição da visão ou por razões estéticas.

Catarata

A catarata, que é a perda de transparência do cristalino (lente presente nos olhos), é outro problema que costuma ocorrer em maior quantidade e mais precocemente em indivíduos expostos ao sol demais e sem proteção. Catarata causa uma diminuição da passagem da luz para e retina e consequente piora da visão e da qualidade de vida. A doença pode ser causada por algumas doenças e medicações, no entanto é mais comum por exposição ultravioleta solar, fato esse que faz a doença ser mais comum em indivíduos após a quinta década de vida. O tratamento é cirúrgico, o qual consiste na “aspiração” do cristalino opacificado e substituição por uma lente intraocular artificial. Existem diversas lentes intraoculares disponíveis e cabe ao médico oftalmologista avaliar e indicar a que mais adequa ao paciente.

O fundamental mesmo é se prevenir, desde criança.

Conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), em locais com um índice de 1 a 2 de UV a pessoa pode ficar no sol o período que quiser. Já o índice de 3 a 5, considerado “moderado” e de 6 a 7 já é “alto”, sendo recomendado ficar exposta ao sol apenas até as 10h e depois das 16h. Os índices de 8 a 10 estão entre “muito alto” e “extremo”. Nesses locais, a exposição ao sol deve ser evitada principalmente no horário entre 10h30 e 16h.

Como proteger a visão das doenças oculares:

  1. Evitar olhar diretamente para sol, mesmo de óculos escuros;
  2. Se possível, complementar a proteção com chapéu ou boné;
  3. Usar óculos escuros com filtro de proteção contra raios UV;
  4. Evitar exposição ao sol entre 10h e 14h;
  5. Fazer exames oculares de rotina, uma vez por ano.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *